#BGS10: FarCry 5 é mais do mesmo?

0

Se distanciando de suas antigas temáticas, FarCry 5 vem aborda desta vez o extremismo religioso, extremismo que ocorre em uma cidade do interior americano, onde um terrorista cria uma ordem religiosa, que gera uma revolução, aonde o nosso personagem se encaixa. Que com muitas balas, dinamites, mortes, aventuras de tirar o fôlego, ação desenfreada e a ajuda de Boomer (o Cachorro), atingirá seu objetivo de livrar o povo dessa “ditadura”.

O FarCry 5 faz parte da coletânea principal da Ubisoft. A jogabilidade é simples e de fácil entendimento, mantendo os mesmos comandos já aparentados nos outro jogos da franquia. A versão jogada por nós foi uma demo, talvez por ser uma demo, os dois loadings que foram apresentados demoraram muito  em consideração ao tempo que tínhamos de gameplay.

Em questão gráfica, FarCry 5 aparenta os mesmo gráficos do jogo anterior, as partículas de explosão, poeira e armas são bem concretas e vibrantes. A ambientação é bem ampla, porém quando chegamos perto de objetos, veículos e folhagens, o gráfico não parecia inovador, mostrando claramente os serrilhados. Mas claro, devemos lembrar que não é a versão completa.

Na jogatina, começamos a demo em uma pacata cidade do interior americano, onde temos extremistas religiosos no comando, sua missão é livrar a cidade do poder deles, tendo em mãos um vasto arsenal que conta com : Rifle de assalto, Submetralhadora, Revolver, e bananas de dinamites (muito divertidas por sinal), um taco de Baseball, e também armas escondidas em certos ponto do jogo. A mira é suave, os veículos altamente explosivos, dirigibilidade fácil com auxilio de mira automático. O pela quantidade de elementos que vimos no jogo podemos dizer que o jogo certamente será o pesadelo para seus frames.

O jogo apresenta três opções de ajudantes, sendo eles, um cachorro, uma atiradora de elite, e um avião que executa bombardeios e em certos  momentos você tem a oportunidade de controlar o avião. As escolhas influenciam no modo que a ação flui, e promete ser um recurso importante para o futuro da trama.

Se você já jogou os outros jogos, notará que não tem muita diferença, chega a ser quase enjoativo. Mas ir a fundo nessa nova aventura pode ser muito divertido, apesar de todas polêmicas religiosas e políticas que a Ubisoft não tem medo de encarar.