É divertido ser um perdedor?

0

Durante as férias de Natal, meu irmão veio me visitar. Ele é um gamer de PC dedicado que quase nunca tocou num controle, então é claro que eu decidi que era uma boa hora pra um co-op de Yoshi’s Woolly World. Alguma vez você já tentou jogar um jogo co-op com um jogador completamente novo? Você não vai chegar muito longe, mas pode ser divertido e hilariante. Ele ficava me engolindo por acidente, levando-me a gritar: “Aperta pra baixo! Me caga logo!” Rimos como loucos através das poucas fases que conseguimos completar. Foi o multiplayer mais divertido que eu joguei nos últimos tempos e me lembrou que às vezes é importante abraçar a diversão de perder.

Eu geralmente evito o mundo competitivo dos jogos online porque é muito “sério” pra mim. Mesmo quando sou bom em um determinado jogo, eu não acho divertido jogar com pessoas que parecem não estar se divertindo quando ganham, muito menos quando perdem. Eu prefiro ficar junto com amigos que estão jogando por diversão casual e rir de nós mesmos quando fazemos cagada. Online, fico com MMOs e busco grupos que gostam de encontrar um nicho especial, como a minha antiga guilda de Guild Wars 2, que costumava evitar os grandes PvPs e focar nas missões que nos permitiam jogar em equipe.

Sejamos sinceros: a maioria de nós não tem tempo e/ou reflexos pra ser jogadores reais. A menos que nos concentremos obsessivamente num único jogo ou gênero, seremos “mais ou menos” na melhor das hipóteses na maioria dos jogos – e está tudo bem. Eu não quero que os jogos fiquem parecidos com os esportes físicos, onde apenas a elite realmente joga e o resto de nós apenas assiste. Então, por que as camadas inferiores aos intermediários dos jogos online são tão cheias de pessoas furiosas e zangadas? Jogamos pra nos divertir e parte desse divertimento é se divertir mesmo quando está perdendo. Eu não estou dizendo que você não deva ser competitivo, apenas que criticar e brigar com as pessoas é o oposto de diversão.

É divertido ser um perdedor? 1

Ser capaz de tolerar e até mesmo desfrutar da derrota é importante pra expandir seus horizontes também. Até quase 20 anos de idade, eu era um jogador de PC exclusivo como meu irmão e, na maior parte, jogava estratégia baseada em turnos e RPG. Quando decidi jogar um PlayStation 2 pela primeira vez, eu levei uma surra. Ainda assim, eu amei o mundo colorido de plataformas e tentei e melhorei. Como a maioria de vocês, eu nunca serei um jogador profissional, mas sou muito bom na maioria dos gêneros agora. Isso nunca teria acontecido se eu não tivesse sido capaz de rir das minhas falhas e ter tido paciência comigo mesmo enquanto minhas habilidades cresciam.

Todos nós temos alguns gêneros em que somos péssimos – eu só apanho no Street Fighter, por exemplo. Outras vezes, temos uma tendência a evitar algo porque sabemos que somos ruins – é gostoso ser automaticamente bom num novo jogo, mas isso pode nos limitar a um único gênero e podemos ficar pra trás se a indústria de jogos adotar novas tecnologias. Eu vi isso acontecer com os fãs de RPG que se recusam a jogar qualquer sistema de combate que não é baseado em turnos. Tal qual muitos jogadores que migraram pros controles de movimento se desacostumaram a jogar nos controles tradicionais. Espero que não façamos o mesmo erro com o VR, que é jovem e promissor, mas vai exigir que sejamos flexíveis, de mente aberta e dispostos a falhar.

Perder em jogos é importante. Isso nos ensina como melhorar, chama nossa criatividade e nos acompanha à medida que ampliamos nossos horizontes. Também pode ser muito divertido, especialmente se você perder junto com amigos e se recusar a se levar muito a sério. Em 2017, tente alguns jogos que não esteja tão familiarizado. Você provavelmente vai se ferrar. Mas também vai descobrir um novo gênero favorito ou criar memórias que vão durar pra sempre – especialmente no multiplayer.